terça-feira

inibição






















« Eu não quero, eu não quero ver o mundo inteiro pronto a esquecer que tem alguém que não tem tratado bem »

Afinal é mesmo verdade e a minha desistência por ti está em fase de processamento, sinto-me sem força, sem sentidos, perco-me no decorrer do tempo e na intersecção dos nossos espaços. Estou cansada de olhar a meu redor e encontrar sempre o nosso desencontro, a minha convicção está a morrer nas tuas mãos e acaba por se desfazer no meu coração, assim me falta tudo aquilo que em tempos tive e sonhava nunca mais acabar. Mas esqueci-me que a vida é feita de 'ses' e de caminhos que em momentos se desalinham e descarrilam entre corações que em tempo estiveram juntos. Afinal não somos mais que um conjunto de sentimentos iludidos por pessoas em quem confiamos sonhos, ideias e planos sem fim, que nunca se mantêm, apenas se desperdiçam em vez de se viverem.
Os detectores de sentidos morreram em sentimentos inequívocos que senti sem poder mais!
Fartei-me de olhar para o lado e saber que apenas, sou para ti, um conjunto de determinados interesses que todos os dias usas e deixas de usar sem qualquer rumo de definição. O meu enorme aperto no peito deixou-me sem chão e hoje regresso de tudo o que vivi com uma enorme relatividade que me faz desprender-te de mim.

Amar-te é puro, ter-te é inibitivo